O Comandante Geral da PM Cel Woney Dias recebeu em seu gabinete o Prefeito Vilela e sua equipe e anunciou providências para conter a violência em Queimados.
Amigos do Portal

O Comandante Geral da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, coronel Wolney Dias, não foi à Audiência Pública sobre a violência em Queimados, nesta quinta-feira, 19/10, convocada pela Comissão de Segurança Pública da Alerj, tendo à frente os Deputados  Zaqueu Teixeira e Marta Rocha, para receber o prefeito da cidade Carlos Vilela e sua equipe em audiência privativa que estava marcada para o mesmo horário, desde quando Max e Vilela se reuniram com o governador Pezão, há dez dias atrás.

No encontro, o Coronel Wolney anunciou o aumento do efetivo do 24º BPM com pelo menos mais 100 policiais, 14 dos quais deverão chegar já nas próximas semanas e os demais 86 (oitenta e seis) ao longo dos próximos meses, de acordo com a reestruturação das UPP’s na cidade do Rio de Janeiro.

Com a chegada desses primeiros policiais será reativado imediatamente o DPO da entrada da cidade e serão ultimados os preparativos para a transferência dos policiais da 1ª Cia do 24º BPM para a Pedreira, na sede do antigo Posto Médico.

Ficou ainda acertada na reunião a construção de mais um DPO em Queimados e a recuperação imediata de 4 (quatro) veículos da Polícia por parte da Prefeitura.

Além de Vilela, participaram da audiência com o Comandante Geral da PMERJ o Secretário Municipal de Governo, Max Lemos, o Secretário Municipal de Segurança e Ordem Pública, Elias José, o vice-prefeito Machado Laz, o Comandante do 24º BPM, tenente-coronel Bresciani, e a Comandante da 3º Comando de Policiamento de Área, coronel PM Cláudia de Melo Lovain.

Já na Audiência Pública da ALERJ, à qual também faltaram o Chefe da Polícia Civil e o Secretário de Estado de Segurança Pública, a revelação mais importante foi feita pelo Dr. Giniton Lage, Delegado  titular da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense – DHBF, que declarou que a Polícia Civil já identificou parte dos autores dos crimes bárbaros cometidos no centro de Queimados, no domingo 08/10, no Bar do Ramon: “Só estamos aguardando uma resposta do Judiciário para implementar operações e prendê-los. Nós não podemos admitir crimes como esse ocorrendo em Queimados”, declarou o delegado.

Desapontado com a ausência das principais autoridades da área de segurança, o Deputado Zaqueu Teixeira, principal articulador da Audiência Pública, desabafou: “Quem tem que dar a resposta para a diminuição da violência não esteve presente. Os dados mostram como o assunto é grave e como todos precisam se mobilizar. Isso não é política, é cuidar das vidas das pessoas”.  E criticou a baixa atuação continuada das forças de segurança na Baixada, que possui altos índices de violência, em comparação com a rapidez e a atenção ao confronto na favela da Rocinha, na Zona Sul do Rio. “Não podemos ter essa diferenciação no tratamento da política de Segurança para as diferentes regiões”, disse o Deputado.

COMENTÁRIOS

Ismael Lopes
É Jornalista, professor e fundador do Portal Queimados.