Leitor de impressões digitais
Amigos do Portal

Em 18 dias, entre 13/11 e 30/11, apenas 6.275 eleitores queimadenses realizaram o cadastramento biométrico obrigatório, somados os atendimentos do Cartório Eleitoral da Rua Félix, em frente ao Fórum, com o do Posto Revisional, instalado na Av. Camilo Cristófano, 303, térreo, na Vila Camarim, no Fanchen; o que dá uma média de 350 cadastramentos diários.

Até o sábado passado, 02/12, Queimados possuía um total de 8.192 eleitores com cadastro biométrico, já incluídos os cadastros feitos no final de 2017 e ao longo de 2018, antes do início do cadastramento obrigatório, iniciado em 13/11.

Ou seja, apenas 7,31% dos 112.015 eleitores de Queimados se cadastraram até sábado passado, faltando, portanto 103.823 a serem cadastrados até 17/03/2018, data limite determinada pelo TRE.

Considerando que de 04/12/2017 até 17/03/2018 teremos somente  89 dias úteis (excluindo apenas os feriados: Natal, Ano Novo e 3ª feira de Carnaval), chegaríamos, no ritmo atual, a apenas 39.342 (31.150 + 8.192) eleitores com biometria.

Para chegar aos 112.015 eleitores precisaríamos de 296 dias úteis, o que ultrapassaria, e muito, o dia 02/10, marcado para o primeiro turno das eleições 2018.

Para superar essa fatalidade matemática, o TRE tem que desde já planejar o aumento do efetivo de pessoal para cadastramento em Queimados, reforçando o cartório eleitoral, que tem uma capacidade diminuta de atendimento, apesar da boa vontade dos funcionários, e também criar pelo menos mais um Posto Especial de Cadastramento.

É importante ressaltar que esses 350 atendimentos diários já praticamente esgotam a capacidade de atendimento do atual contingente de funcionários que, trabalhando exaustivamente, podem chegar a algo em torno de 450 a 500 atendimentos/dia.

Portanto, não tem como ampliar muito essa média diária mantendo o número atual de funcionários, ou daqui a pouco teremos funcionários baixando hospital por exaustão,  principalmente o pessoal que tem que digitar dados.

Há que se pensar também em estender o prazo do cadastramento, pois o prazo até 17 de março é muito exíguo, mesmo que seja ampliado o contingente de atendimento.

Além disso tem que aumentar a divulgação do processo de recadastramento biométrico e o estímulo aos eleitores, quem sabe utilizando mais as mídias locais (rádios, jornais – impressos e eletrônicos – e ‘sites’).

Ou então deixa o voto biométrico em Queimados para 2020, correndo em 2018 os riscos de fraudes como as que tivemos em 2016.

COMENTÁRIOS

Ismael Lopes

É Jornalista, professor e fundador do Portal Queimados.