Um notícia falsa – fake news – veiculada nas redes sociais nos últimos dias agitou o município de Queimados. Sob o título “CAI O PRESIDENTE DA CÂMARA DE QUEIMADOS VEREADOR MILTON CAMPOS”, a notícia foi veiculada no grupo ‘Folha de Notícias de Queimados’, na sexta-feira, 09/03, e se espalhou na cidade feito um rastro de pólvora.

Apesar do título, a notícia em seu bojo não confirma a queda, diz apenas que “… o Vereador Milton Campos vai deixar a presidência da Câmara pelas portas dos fundos” e que “Afastamento do vereador Milton Campos da presidência do legislativo foi requerida na Justiça com aval do Ministério Público”.

Mas numa outra postagem no mesmo grupo, o autor reforça a notícia afirmando categoricamente: “Presidente da Câmara de vereadores é afastado e procurador por ação judicial….”

A notícia não é de todo falsa; falsas são as considerações do autor sobre um fato real: a existência de uma ação judicial em que Milton Campos e Cassius Valério são réus e deverão ser intimados, nos próximos dias, para apresentarem contestação.

Trata-se do processo 0000213-67.2018.8.19.0067, uma Ação Popular movida por Daniele Terra de Souza, uma cidadã queimadense, moradora do bairro Jardim da Fonte, que foi candidata a vereadora no último pleito pelo PSDB.

Daniele acusa o procurador concursado da Câmara Municipal de Queimados Cassius Valério Teixeira da Silveira de acúmulo indevido de cargos em quatro municípios e o Presidente da Câmara Milton Campos por omissão e conivência, e pede, preliminarmente, o afastamento de ambos dos cargos, o que ainda não foi concedido pela justiça.

A Dra. Isabel Tereza Pinto Coelho, Juíza Titular da 1ª Vara Cível da Comarca de Queimados, em decisão exarada na quinta-feira, 08/03, mandou citar os reús “para apresentarem contestação no prazo de 20 dias…” e somente após o contraditório a medida liminar será apreciada.

Antes de entrar na Justiça, em novembro de 2017, a autora enviou à Câmara de Queimados um requerimento dirigido ao Presidente Milton Campos denunciando Cassius Valério por acúmulo do cargo de Procurador da Câmara de Queimados com o cargo de Técnico Legislativo da Câmara Municipal de São João da Barra-RJ e com nomeações também  nas prefeituras de Vassouras e de Engenheiro Paulo de Frontin.

Ouvido pela nossa reportagem, o Presidente da Câmara Milton Campos disse estar tranquilo, uma vez que diante da denúncia tomou todas as providências, notificando o acusado e abrindo inquérito administrativo para apuração dos fatos denunciados, com o envio de ofícios aos órgãos citados.

Segundo Milton, a Prefeitura de Vassouras comunicou que Cassius está exonerado desde 01/01/2017, um dia antes de assumir o cargo de Procurador na Câmara de Queimados e a Câmara de São João da Barra comunicou que o cargo dele está em vacância, sem vencimentos, situação mantida enquanto ele cumpre estágio probatório na Câmara de Queimados.

O Presidente aguarda informação da Prefeitura de Engenheiro Paulo de Frotin, para a conclusão do inquérito administrativo.

O Procurador Cassius Valério garante que não tem mais qualquer vínculo com os municípios citados na denúncia e afirma que a ação movida por Daniela Terra tem o dedo de políticos ligados ao governo insatisfeitos com sua atuação independente como Procurador concursado da Câmara de Queimados.

“Eu e o Presidente da Câmara, que também é advogado, estamos sendo vítimas de perseguição política porque temos tido uma posição firme em defesa da Lei e temos contrariado interesses de alguns políticos ligados ao governo municipal. Trata-se de uma armação para desgastar o Presidente e se livrar da minha presença incômoda no caminho deles. Mas isso não vai acontecer, vamos provar nossa conduta ilibada e desmascarar essa farsa”, disse Cassius Valério, que se comprometeu em dar uma entrevista a este PORTAL e “apresentar documentos e áudios para mostrar a verdade…”

Em relação à ‘fake news’, o Presidente da Câmara Milton Campos registrou uma queixa contra o seu autor na 55ª DP, na tarde de ontem, pedindo seu enquadramento no Art. 139 do Código Penal: Difamação.

COMENTÁRIOS