Amigos internautas, a greve que parou o Brasil terminou, mas seus ecos não. Começou com desconfiança e terminou com uma certeza, existe uma categoria profissional que tem o poder de parar o Brasil e causar um verdadeiro estrago para o governo, a economia e a sociedade. E no final, quem continua sofrendo as consequências danosas dessa greve é justamente o povo e sua camada mais necessitada.

Passados alguns dias, quase uma semana do acordo que pôs fim ao movimento grevista, ainda ecoam os seus efeitos, os postos de combustíveis ainda não regularizaram suas bombas, os entrepostos de mercadorias in natura ainda enfrentam desabastecimentos, a vigilância sobre a validade e integridade dos produtos devem ser reforçadas, pois os produtos perecíveis que ficaram retidos nos caminhões frigoríficos devem ter sofrido problemas em sua conservação e, na certa, os empresários tentarão a todo custo diminuir seus prejuízos.

Até a maior empresa do país, a Petrobrás, sofreu com a greve dos caminhoneiros que protestaram contra o aumento abusivo do óleo diesel e sua política de preços adotada com base nos movimentos externos de mercado. Conclusão, enfraquecido por quem deveria lhe dar a sustentação necessária, o presidente da estatal, Pedro Parente, pediu demissão do cargo depois de dois anos nele, fazendo com que a empresa sofresse forte desvalorização dos seus papéis na bolsa de valores com uma perda estimada de mais de 130 bilhões de reais.

Acontece meus amigos que a luta continua e faltando menos de quatro meses para a eleição que escolherá o novo presidente do Brasil, nós brasileiros não temos um digno representante da nossa esperança, pois os vermelhos e a dita direita conseguiram assassinar a esperança do povo. Não à toa, a célebre frase do maior jurista brasileiro, proferida em seu discurso no Senado Federal em 1914, nunca foi tão atual, senão vejamos:

“De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto.” (Rui Barbosa)

Então meus amigos, vamos ficar atentos, vamos evitar reeleger esses mesmos candidatos que pensam que nos representam, pois todos aqueles que estão exercendo mandatos neste último quadriênio, com raríssimas exceções, não merecem ser reeleitos, não merecem a nossa confiança.

Precisamos urgentemente de reformas políticas, tais como:

  • Fim de todos os privilégios que não sejam decorrentes do exercício do cargo ou em função dele;
  • Diminuição do quadro de congressistas, sendo 1 senador e 5 deputados por Estado e que esses últimos sejam escolhidos por distrito ou região;
  • Fim dos auxílios penduricalhos para os congressistas, tais como: verbas de gabinetes de R$ 92.053,20 por mês, destinadas a contratação de pessoal, hoje os deputados podem empregar até 25 secretários parlamentares, cuja lotação pode ser no gabinete, em Brasília, ou no Estado de origem; cotas parlamentares, variam de acordo com o Estado pelo qual o parlamentar foi eleito e inclui, em uma só conta, despesas com passagens aéreas, inclusive para os cônjuges e assessores, telefonia, correios, aluguel de escritórios de apoio à atividade parlamentar, hospedagem, combustíveis e fretamento de carros, entre outras; e auxílio moradia para parlamentares que não moram em residências funcionais em Brasília;
  • Limitação de reeleições para parlamentares e fim da reeleição para chefes do poder executivo;
  • Teto salarial incluindo todo o tipo de vantagem com limitação das verbas indenizatórias;
  • Fim de benefícios vitalícios para ex-presidentes, ex-parlamentares e demais detentores de cargos nas esferas estaduais e municipais;
  • Diminuição das diferenças dos regimes de previdência pública e privada;
  • Fim das regalias e privilégios dos servidores do Poder Judiciário, incluindo os magistrados e dos Ministérios Públicos que são servidores públicos como qualquer outro;
  • Revisão dos aposentadorias e pensões de filhas maiores de militares;
  • Ampla reforma tributária com o fim das bitributações;
  • Revisão da maioridade penal;
  • Endurecimento no combate à corrupção.

Enfim, meus amigos, como dissemos acima, a luta continua!!!

Até o próximo encontro e fiquem sempre atentos para tudo que está acontecendo, reflita, duvide, questione, pergunte, leia mais e se interesse pelos assuntos republicanos.

Deixem seus comentários e sugestões…

COMENTÁRIOS