No último dia 15 de junho, o Instituto de Pesquisa Econômica (IPEA), juntamente com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, publicou o ‘Atlas da violência 2018- Retrato dos municípios’.

Se no ano passado Queimados foi indicado como a cidade mais violenta do Rio de Janeiro, conforme publicado em maio de 2017, os dados levantados no ano de 2016 são alarmantes. Nosso município atingiu uma taxa de 134,9 homicídios a cada 100 mil habitantes, garantindo o primeiro lugar no ranking de cidades mais violentas do país com população acima de 100 mil habitantes, seguido por quatro outros municípios baianos e Japeri, que atingiu uma taxa de 95,5 homicídios.

A violência nessas regiões não ocorrem de forma homogênea, ou seja, não ocorre apenas de alguma forma e variam de acordo com a localidade.

Especialistas também acreditam que o crescimento do índice se dá pelo aumento e proliferação de facções criminosas e para a ONU (Organização das Nações Unidas), taxas acima de 10 por 100 mil são consideradas de violência epidêmica.

A coordenadoria de comunicação social da PMERJ emitiu uma nota afirmando que “não se surpreende com o fato de um município da Baixada Fluminense aparecer como uma das áreas com maior taxa de mortes violentas” e que mais de 90% dos homicídios estão relacionados à disputa por território entre facções rivais de criminosos.

Segundo a nota, as devidas medidas já estão sendo tomadas pela Polícia Militar em todo Estado, com atenção específica nos municípios que se destacaram pela mancha criminal:

“Remanejamento do efetivo, realinhamento das Unidades de Polícia Pacificadora e aquisição de novas viaturas estão entre as medidas adotadas. Em consequência desses esforços, bem como com apoio da Prefeitura de Queimados, através da implantação do PROEIS, o Município hoje – primeiro trimestre de 2028 – já apresenta números bem menores nos índices de criminalidade.

O 24ºBPM, batalhão responsável pelo policiamento ostensivo em Queimados, realizou mais de mil prisões na cidade entre janeiro de 2016 e maio de 2018. No mesmo período, mais de 800 armas de fogo foram apreendidas em toda área da Unidade, que inclui outras quatro cidades além de Queimados totalizando uma população estimada em 467.855 pessoas segundo dados do Censo 2010.”

 


COMENTÁRIOS