Uma reportagem do SBT Rio, que foi ao ar na tarde desta quarta-feira, 03/10, levou o Prefeito Carlos Vilela a exonerar 4 (quatro) funcionários fantasmas, dois deles parentes do ex-presidente da Alerj e preso domiciliar, Jorge Picciani, e  mais dois ex-vereadores.

A reportagem apurou que o irmão de Jorge Picciani, Pedro Picciani e o primo e ex-vereador Marcelo Leied,  assim como os ex-vereadores Jairo da Costa Lima e Leandro da Silva Guerra, estavam nomeados em altos cargos na Prefeitura, com salários acima de R$ 6.850, 00, e não trabalhavam; e destacou que “todos são aliados políticos do ex-prefeito de Queimados, Max Lemos, homem de confiança do clã Picciani e principal candidato a deputado estadual do MDB”.

Foi a denúncia de um funcionário concursado da Prefeitura que levou a equipe do SBT a investigar o caso: “Tem bastante gente nomeada que não trabalha, não tem lotação”, garantiu o servidor, cuja identidade foi preservada. “A gente como servidor da Prefeitura fica decepcionado, porque já são dois anos em que deram 1% de reajuste para nós servidores da Prefeitura, e todo o dia sai uma nomeação para cargo em comissão e a maior parte de fantasma.”

Pressionado pelo repórter e diante das evidências apresentadas na reportagem, o Prefeito Carlos Vilela não teve outra alternativa senão ‘cortar na carne’.

As exonerações, que são um reconhecimento da veracidade da denúncia, constam do DOQ extraordinário Nº 424, de 02/10/2018, juntamente com exonerações de outros três comissionados que não foram citados na matéria E, possivelmente, não guardam relação com o caso.

De acordo com a reportagem, juntos, os quatro ‘fantasmas’ “custaram aos cofres públicos cerca de R$ 250.000,00, desde janeiro deste ano, quando foram nomeados para os respectivos cargos pelo Prefeito Carlos Vilela, sucessor e aliado de Max Lemos”.

Alvo principal das denúncias, o ex-prefeito e candidato a deputado estadual Max Lemos, contestou a existência de fantasmas em sua gestão e classificou a denúncia como ‘de cunho estritamente político”.

A âncora do SBTRio encerrou a reportagem reproduzindo uma nota envida por Max: “Em nota, o ex-prefeito Max Lemos negou a existência de cargos fantasmas durante a sua gestão à frente da Prefeitura de Queimados e disse que repudia tal conduta. Ele acredita que tal suposição é de cunho estritamente político para abalar sua imagem a poucos dias das eleições. Max Lemos ressaltou ainda que fez uma gestão pautada os princípios da transparência e da austeridade, tendo todas as suas contas aprovadas pelo Tribunal de Contas.” 

Clique aqui para assistir a reportagem na íntegra.


COMENTÁRIOS