O Delegado Daniel Rosa, Titular da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense, recebe na próxima terça-feira, 27/11, às 10 horas da manhã, no auditório da Câmara Municipal do Rio,  Moção de Louvor e Reconhecimento por seu papel fundamental na elucidação do crime e prisão dos assassinos da moradora de rua Fernanda Rodrigues dos Santos, ocorrido no bairro de Copacabana, no Rio de Janeiro, em 18/10/2017. Na ocasião, Dr Daniel Rosa era delegado da DH Rio.

A homenagem, em memória de Fernanda Rodrigues, será prestada pela Comissão Especial de Políticas Públicas para a População em Situação de Rua, presidida pelo Vereador Reimont, e contemplará também a psiquiatra Dra. Maria Teodora Rufino, Coordenadora da Área Técnica de Saúde da População em Situação de Rua, da SES-RJ, e a jornalista Marcia Gatto, Doutora em Políticas Públicas e Formação Humana, Coordenadora da Rede Rio Criança, por sua militância incansável em defesa dos direitos das crianças em situação de rua. Marcia Gatto apresentará durante o encontro sua tese de doutorado, que tem como tema ‘Os Indesejáveis: Práticas Abusivas e Ideologia Dominante no enfrentamento aos sujeitos indesejáveis no Rio de Janeiro’.

Fernanda Rodrigues dos Santos, 40 anos, moradora de rua assassinada em Copacabana, Rio de Janeiro, em 18/10/2017

A moradora de rua Fernanda Rodrigues dos Santos, de 40 anos, que perambulava por Copacabana arrastando sacolas coloridas e panelas,  uma figura inofensiva, que trabalhava numa calçada em frente à Praça do Lido areando panelas das ‘madames’ para ganhar a vida, foi friamente assassinada enquanto dormia com um tiro no peito, dado por Claudio José Silva, 37 anos, ex-lutador de MMA, que estava acompanhado e contou com a cumplicidade de Rodrigo Gomes Rodrigues, 24 anos, estudante de medicina.

Os dois foram presos pela equipe da Delegacia de  Homicídios do Rio de Janeiro, chefiada na ocasião pelo Delegado Daniel Rosa, graças a uma câmara de vídeo que registrou o crime. Eles estão presos e aguardam julgamento.




COMENTÁRIOS